Criação de Artigos Totalmente Voltados Para Conversão

Criando artigos que vendem

– Por Anderson Chipak

Promover produtos e serviços através de marketing digital é, de certa forma, algo extremamente obscuro para muita gente. O motivo é claro, grande parte dos blogueiros e webmasters não sabem ao certo o que fazer para ter lucros efetivos além de incluir banners ou links em seus sites de maneira indiscriminada.

É claro que não se pode generalizar, mas a realidade na maioria dos casos é essa.

Antes de continuar, tenho que falar que esse artigo é parte integrante do treinamento Demolição Digital. Ele contém um método criado exclusivamente para auxiliar na criação de artigos que vendam produtos constantemente, seja no Hotmart ou em qualquer outro mercado.

A não ser que se tenha uma quantidade extremamente grande de visitas, é praticamente impossível fazer negócios utilizando um blog sem um entendimento do assunto. Esse é o motivo pelo qual conhecemos poucas pessoas que ganham, por exemplo, mais de mil reais na internet com programas de afiliação.

Através da boa estruturação de um artigo e uma distribuição adequada de links é possível obter retornos expressivos sem receber milhares de visitas.

Note que não me refiro a banners, popups, vitrines, fluxos de rss ou xml, etc. Digo apenas artigos e links, pois são eles que passam seriedade e criam um vinculo entre o autor e o leitor. Os links em particular tem papel ainda mais importante, o de direcionar o visitante.

Dito isto, vem a boa notícia. Mesmo que você não seja um bom marqueteiro ou escritor, ainda assim é possível organizar artigos para obter melhores resultados em termos de conversão com afiliados.

Depois de pouco mais de quatro anos blogando, pude testar vários métodos. Perdi e ganhei muito dinheiro até que cheguei a algumas conclusões que fizeram minhas conversões explodirem.

… E é sobre o que deu certo para mim que quero passar para você nesse artigo.

Antes de começar, se alguém pedisse para definir em poucas palavras uma maneira de aumentar sensivelmente as conversões eu diria:

Faça de seu blog uma rede de assuntos interligados e leve o seu visitante à página de conversão da maneira mais simples e direta possível, sem intervenções.

 

Tenha uma Landing Page sempre

Uma landing page nada mais é do que uma página para onde seu leitor será direcionado para onde você quiser. Ela é a última instância de um blog antes da conversão.

Sempre tenha uma, e apenas uma, landing page para cada produto ou serviço que você deseja promover. Isso garante que o seu leitor fique sempre focado no assunto principal e não seja desviado de seu caminho. Que na verdade é o caminho que você definiu – a primeira conversão (Leads) ou a segunda conversão (Vendas).

Direcione o tráfego de forma inteligente

Depois de entender o que é uma Landing Page, mesmo que de maneira superficial, você precisa compreender que nem sempre o leitor será direcionado para ela.

… Muitas vezes colocar links para esse tipo de página causa repulsão ou perda de interesse.

Para entender melhor, vou dar um exemplo.

Imagine que você possui uma Landing Page para o produto Corpo de 21 e que está publicando um artigo falando especificamente sobre isso. Sabendo que nesse artigo você explicará tudo sobre o Corpo de 21, é necessário direcionar o leitor para uma Landing Page?

Definitivamente não! Isso causaria desinteresse. Baseado nessa lógica é necessário seguir algumas regras simples para o correto direcionamento de tráfego:

  • Não direcionar o leitor para a Landing Page quando

Se supõe que o leitor conhece algo sobre o assunto. Por exemplo, a Dell lança uma promoção imperdível e você deseja promove-la através de um artigo. Nesse caso não é necessário direcionar o leitor para a Landing Page. Direcione diretamente para a página do produto.

  • Não direcionar o leitor para a Landing Page quando

Se tem a certeza de que o leitor não conhece o assunto, mas previamente já foi explicado. Nesse caso, apenas no momento da explicação pode-se criar um link para a Landing Page, mas nas citações posteriores não.

  • Direcionar o leitor para a Landing Page quando

Se tem a certeza, ou uma pequena dúvida, de que o leitor não conhece o assunto, ele deve ser direcionado para a Landing Page. Por exemplo, você deseja recrutar novos afiliados para a Netaffiliation. Não sabemos se o leitor conhece a empresa, portando é necessário direcioná-lo para a Landing Page.

Zonas de conversão/venda em um artigo

Depois de entender perfeitamente o que é uma Landing Page e como direcionar o tráfego de maneira correta, chegou a hora de entrar em um assunto totalmente diferente do que costumamos encontrar pela internet.

Trata-se de uma visão diferenciada sobre os artigos que costumamos escrever.

Antes de qualquer coisa, quero pedir que você imagine um artigo dividido em zonas.

Por exemplo:

  • O parágrafo 1 representa a Zona 1
  • O parágrafo 2 representa a Zona 2
  • O resto representa a Zona 3

Cada uma dessas zonas representa uma possibilidade de venda dentro de um artigo e deve ser tratada de acordo com um pressuposto simples: a maioria dos leitores tem preguiça de ler.

… Infelizmente essa afirmação é a mais pura realidade.

Devemos considerar que existe uma grande possibilidade de o visitante ler o que está na Zona 1, uma possibilidade média de ler o que está na Zona 2 e uma possibilidade baixa de ler o que está na Zona 3.

Baseado nisso, temos algumas regras de conversão.

1 – Artigo que fala especificamente de um produto

Zona 1 – Primeiro parágrafo: Entendimento do produto.

Nessa zona existe pouca chance de conversão e muita chance de rejeição visto que o leitor visitará a página do produto sem saber se efetivamente quer conhece-lo.

… Se você incluir um link aqui e o leitor clicar, provavelmente você verá sua taxa de conversão cair bastante porque é como se estivesse empurrando o produto “goela abaixo” no visitante. Isso não significa que a Zona 1 não converta bem.

Se o produto for relativamente conhecido, as chances de conversão são maiores do que nas outras zonas. Se o produto ainda não for tão conhecido, considere deixar o primeiro parágrafo sem links, apenas com imagens, negritos e demais destaques.

Zona 2 – Segundo e terceiro parágrafos: Zona primária de conversão.

Aqui o leitor já tem uma ideia do que se trata o produto ou serviço e pode decidir se realmente quer visitar a página para conhecer, comprar ou se cadastrar.

… É nessa zona em que as maiores conversões acontecem e que o CTR efetivamente aumenta, pois o leitor visita o site afiliado com uma ideia clara sobre o produto ou serviço.

Zona 3 – Quarto parágrafo em diante: Zona secundária de conversão.

Essa, na grande maioria dos sites, é a zona que fica muito abaixo da dobra (dobra é a primeira parte que uma pessoa enxerga de um blog – abaixo da dobra significa a parte que a pessoa tem que rolar a página para ver). Mesmo clicando na barra de rolagem o texto fica na parte de baixo da página.

Aqui o leitor, além de ter uma ideia maior e melhor sobre o produto (o que é bom), corre o risco de sair da página clicando em outros links ou banners, desviando-se do caminho da conversão.

Podemos dizer que quando o visitante clica em um link nessa zona as chances de conversão são maiores do que na zona anterior, porém as chances de se perder no caminho são maiores.

Conclusão sobre as Zonas de Landing Page

Em se tratando de páginas de aterragem, o objetivo principal deve ser explicar o que for necessário para que o leitor sinta vontade de tomar uma atitude. Nesse caso, não adianta incluir um link logo na primeira palavra do texto, pois isso apenas fará com que o leitor saia de seu site.

… Prefira colocar links nos locais onde a probabilidade de conversão é maior, ou seja, nas Zonas 2 e 3 nessa ordem.

2 – Artigos que direcionam o leitor para uma outra página

Zona 1 – Primeiro, segundo e terceiro parágrafos

Diferente da outra zona 1, aqui o objetivo é levar o leitor o mais rápido possível para a Landing Page. Nesse caso não é necessário explicar sobre determinado produto ou serviço, mas é extremamente importante utilizar links que se encaixem no contexto do conteúdo direcionando o leitor para as páginas de aterragem.

… Esses links devem abrir em uma nova página, para não contar como taxa de abandono, e conter o atributo nofollow, para não correr o risco de ser penalizado por excesso de ligações.

Zona 2 – Quarto parágrafo em diante

Assim como na zona 3, aqui o leitor corre o risco de sair da página clicando em outros links ou banners, desviando-se do caminho da conversão. A grande vantagem dessa zona, em artigos comuns, é que além de links você pode incluir banners relacionados ao conteúdo no final do texto.

… Nesse caso, literalmente, quanto maior é o tamanho do banner, maior serão as chances de conversão. O grande detalhe que faz a diferença nesse caso é continuar linkando para as Landing Pages, mesmo que seja a partir do banner.

Pense que ao olhar um banner a pessoa não sabe exatamente do que se trata, então o melhor é direcioná-la para uma página de aterragem. Isso aumenta as chances de conversão.

Conclusão sobre as Zonas de Artigos Comuns

Em se tratando de artigos comuns, o objetivo principal é levar o leitor para a Landing Page. Não importa como ou de que forma será feito, mas é necessário ter links para as Landing Pages pois elas se encarregarão de converter.

… Considere sempre trabalhar mais na Zona 1, que nesse caso é a principal e converte mais.

Como fica o link building interno

Link building interno significa utilizar links no meio dos artigos para outros artigos com conteúdo complementar.

Falamos aqui sobre os melhores lugares para colocar links com o objetivo de converter. Mas, como fica o link building? Criar ligações internas para outros artigos é muito importante para o bom posicionamento nos mecanismos de busca, especialmente no Google.

Porém distribuir links indiscriminadamente pode fazer com que seus leitores se percam no meio do caminho. Nesse caso, grave em sua mente essas duas regras:

Nunca faça link building em uma Landing Page.

Você pode criar links para ela, mas nunca para fora dela. Os links que saem da página de aterragem devem ser, exclusivamente, para a página do produto.

Em seus artigos, quando for fazer link building.

Inclua ligações somente na Zona 2 (do quarto parágrafo em diante). Do contrário você corre o risco de direcionar o leitor para um artigo que não converte.

Entenda que Link Building é Link Building e Conversão é Conversão. Nunca deixe de fazer ligações internas, mas de maneira correta, sem atrapalhar suas conversões. Lembre-se dessas duas regras.

Outro detalhe interessante sobre link building e conversão é o seguinte: sempre que você fizer ligações para complementar um conteúdo ou simplesmente para passar mais link juice considere escolher páginas que possuam links para Landing Pages.

… Por exemplo, em dois artigos você fala sobre a Netaffiliation, mas em apenas um deles você coloca links para a Landing Page. No momento de fazer link building, prefira o artigo que contém mais links para as páginas de aterragem. Isso garante que se o leitor clicar no link ele ainda será levado para um artigo que converte.

Como fazer com que o leitor clique em seus links

Depois de entender como funciona o direcionamento dos leitores, nada mais justo do que compreender o motivo pelo qual o leitor clica em um link.

Pense comigo, quantas vezes você foi induzido a clicar em um link cujo texto âncora era “clique aqui”[1]? Quantas vezes você clicou? Quantas vezes você foi induzido a clicar em um link cujo texto âncora era o nome de uma empresa [2]? Quantas vezes você clicou? Quantas vezes você foi induzido a clicar em um link cujo texto âncora era, por exemplo, “bônus de 100 reais” [3]? Quantas vezes você efetivamente clicou?

Se fosse para responder a essas perguntas, diria que você clicou mais na situação [3] e menos na [2] e [1]. Isso porque uma causa mais impacto do que a outra.

… É exatamente assim que os leitores pensam, pelo menos de forma inconsciente. Quando o assunto é converter através de links, algumas regras simples devem ser seguidas:

      • Crie um ambiente propício para que o link seja clicado. Por exemplo, se você colocar um link somente com o texto âncora “clique aqui”, sem nenhum contexto, poucas pessoas clicarão. Mas se você incluir o texto “Para ganhar dinheiro com apostas online, clique aqui” as chances de o leitor clicar são maiores.
      • Repita o mesmo link em parágrafos e situações diferentes. Muitas vezes o leitor ignora links cujos textos não lhe chamam atenção. Nesse caso, utilize os mesmo links em várias momentos e com textos âncora diferentes. Apesar de parecer exagero, isso ajuda na conversão.
      • Ofereça o que o leitor quer. Não importa para onde o link direcionará, sempre mostre ao leitor o que ele quer ler. Por exemplo, se você quer promover um site de apostas crie um link “bônus de 100 Euros”, se quer promover um aparelho eletrônico crie um link “desconto de 200 reais”. O link não precisa necessariamente ir para uma página de bônus, ou desconto, mas esses benefícios devem existir realmente.

Evite o excesso de banners

Querer ganhar dinheiro na internet é normal, mas existe uma grande diferença entre oferecer um produto e empurrá-lo para o leitor. Muitas pessoas utilizam banners e propagandas em demasia e reclamam que não conseguem converter bem.

… Isso acontece porque os banners desviam a atenção do leitor e fazem com que ele perca o foco que você impôs em seu website.

É claro que você não precisa retirar todos os banners de seu site ou blog, mas considere manter apenas um nas zonas de conversão. Isso já é suficiente, por exemplo, para ganhar um bom dinheiro com o AdSense.

Atenção, em hipótese alguma inclua banners em Landing Pages pelo motivo já explicado anteriormente.

Se quiser mergulhar mais a fundo nessa e em outras técnicas, não deixe de visitar o projeto que trará uma demolição digital para seus conceitos, clique no link abaixo:

Vídeo Exclusivo, Onde Você Descobrirá o Passo a Passo Para Criar Uma Demolição Digital, Começando do Zero e Sem Ter Experiência.